Autoamor

Como Praticar o Autocuidado nas Redes Sociais: 5 Passos Simples!

 

Aos 30 anos, autocuidado é a minha palavra do momento. Afinal, nada é mais adulto do que cuidar de si mesma e ser a sua própria mãe! A boa notícia é que o mundo concorda comigo e a prova disso está nas prateleiras das farmácias repletas de máscaras faciais, nos aplicativos de mindfullness e nos restaurantes de alimentação saudável por aí. Em tempos de crise, essa palavra da moda surge como prioridade para sobreviver em sociedade – especialmente nas redes sociais.

Então, para nos fortalecer nada como um Guia Prático da Saúde Mental Online em Cinco Passos Simples. Tadaaan!

  1. Dê um unfollow terapêutico.

A ideia é rever o conteúdo que você segue online se questionando um pouco mais profundamente sobre o impacto dele no seu dia a dia e eliminar assim tudo aquilo que não contribui para a sua saúde mental. Você não precisa seguir aquele primo que só viu ao vivo duas vezes na vida se o que ele posta no Facebook te ofende. Isso vale para comentários violentos, fotos de animais sofrendo, padrões inalcançáveis, fake news etc. Você não precisa disso.

Somos responsáveis por tudo aquilo que colocamos no nosso cérebro, mas a tarefa de manter o foco e a concentração naquilo que nos faz bem fica sempre mais difícil quando estamos no celular. Gastamos muito tempo nas redes sociais e ficamos tão distraídos com o excesso de informação que nem paramos para pensar sobre a tempestade de estímulos que recebemos enquanto isso.

E mais: comentários negativos e deslikes são engajamento também. Cada botão de reação que você aperta multiplica o alcance daquele conteúdo pelo número de seguidores que você tem, independentemente se sua intenção era criticar ou não, já pensou nisso? Se você quer combater um conteúdo específico com discurso de ódio na internet apenas não interaja e siga em frente. Além disso, se achar adequado, pode denunciar para moderação.

  1. Inspire-se!

O movimento não está completo se apenas nos livramos daquilo que não nos serve mais, é preciso também nos aproximarmos de pessoas, situações e ideias que nos inspiram. O segredo aqui é testar quais perfis ou sites/páginas fazem com que você se sinta bem com você mesmo. Não adianta seguir um milionário, famoso, em uma posição de sucesso que você gostaria de alcançar se quando você olha para ele tudo que consegue sentir é inveja. A inveja nos faz sentir inferiores em relação à alguém, então, mesmo sem perceber na hora, não nos sentimos bem. Também não existe pessoa certa ou errada para seguir, você é a única pessoa que vai saber se sente contente ou frustrado quando vê a Bruna Marquezine na Grécia. A dica é: observe como você se sente enquanto faz scroll.

Aposte em feeds com os quais você se identifique de alguma forma, mas que ao mesmo tempo te incentive a ser melhor. Um bom investimento pode ser seguir pessoas que não tenham medo de ser imperfeitas: aquela atriz body positive, a blogger que não vive em uma casa do Pinterest para variar,um artista local, uma mãe de primeira viagem. Empodere-se seguindo pessoas que te inspirem e as empodere de volta divulgando seu trabalho!

  1. Salve a bateria! Eu digo…a sua!

Preserve-se. Se vamos passar algum tempo no Facebook ou no Twitter trocando ideias com amigos e familiares – o que pode ser ótimo – a melhor forma de fazer isso é entendendo que não precisamos entrar em todas as discussões. Compartilhe um ponto de vista aqui, absorva um ponto de vista ali, mas saiba ir embora quando a conversa perder o rumo.

Brigar é uma escolha e pode ser substituída por um meme, por exemplo.

Conflitos podem ser altamente desgastantes especialmente em espaços abertos para tantas pessoas diferentes. Entenda que nem todo mundo parte do mesmo lugar quando conversam sobre um assunto. Além disso, as redes sociais podem ser um espaço limitador para o aprofundamento das questões: 280 caracteres ainda são muito pouco para começar a falar sério, mas mesmo assim ninguém lê o seu “textão” no Facebook. Falta olho no olho, tom de voz correto, expressões faciais…todo um universo de linguagem que permite que nós possamos nos entender.

Por isso relaxe, economize suas energias e escolha suas batalhas.

  1. A internet além das redes:

Qual foi a última vez que você gastou seu tempo online sem ser nas redes sociais?Aprendendo alguma coisa nova como uma receita, ou um artesanato, ou como arranjar a tomada da sua casa. Quem sabe lendo um artigo bacana para saber mais sobre um assunto que você se interessa. A internet é um mundo inteiro de possibilidades, mesmo que o seu foco seja apenas se distrair depois de um dia de trabalho.

Dê uma chance à outros tipos de entretenimento além do stories do seu Instagram de vez em quando. Escute um podcast, descubra sites que gosta, experimente umas semanas sem o aplicativo do Facebookno seu smartphone (nem precisa sair da sua conta se não quiser!) e depois me conte os resultados.

  1. Saiba quando desconectar:

Quando tudo parecer mais do que o seu coração ou nervos suportam, desconecte-se. Caminhe um pouco ao ar livre, vá à praia ou ao parque ou quem sabe àquele café sem wi-fi. Faça um jantar com os amigos, saia em um encontro com o crush.

Não abrir a internet logo ao acordar é se cuidar também. Preste mais atenção às suas necessidades, cuide-se quando estiver em casa, faça rotinas matinais concentradas em você e não no celular. Nem sempre podemos tirar férias da nossa rotina, mas sempre podemos melhorar a nossa rotina. Tome banhos demorados, mastigue a comida com atenção. Dê espaço para pensamentos novos.

Acima de tudo, cuide-se.

_________________________________________________________________________________

Todas as imagens presentes nesse texto são da artista @venuslibido : Site oficial aqui

Flavia Doria é jornalista e fundadora do aletraeffe.com

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

error: Conteúdo protegido :)